Home / Acervo Botânico / Ledebouria petiolata, hosta africana

Ledebouria petiolata, hosta africana

ledebouria petiolata, hyascinthaceae

Inflorescência da Ledebouria petiolata, por Dagmar Laus

 

Dados Botânicos

Nome CientíficoLedebouria petiolata (Linl. & Paxton) J.C. Manning & Goldblatt;

Sin: Drimiopsis maculata Lindl. & Paxton;

Nome popular: Hosta africana;

Família: Hyacinthaceae (ex-Liliaceae).

Ocorrência: África do Sul;

Ciclo de vida: Perene;

Luminosidade: Sombra (ideal);

Irrigação: espaçada, pois tolera grandes períodos de seca;

Clima: Subtropical.

Floração: Inverno, principalmente

Dificuldade: Baixa.

Da mesma família dos Jacintos, a Ledebouria petiolata, ou hosta africana, é uma folhagem de origem sul-africana bem difundida no Brasil como planta de interior. Trata-se de uma espécie altamente resistente a situações extremas de sombra e seca, cujo principal atrativo são folhas vistosas, de um verde escuro marcante. As flores são de uma importância ornamental secundária, sendo desprezada por alguns admiradores desta espécie.

No Brasil, apesar de bem difundida, não possui um nome popular, sendo Hosta africana uma derivação do inglês “African Hosta”. Na verdade, o gênero Hosta pertence a família das Asparagaceae, sub-família Agaveaceae, mas já estiveram classificadas entre as Liliaceae,  juntamente com a Ledebouria petiolata. Dentre as espécies mais famosas desse gênero, encontra-se a Hosta undulata.

As folhas da hosta africana são sagitadas (em formato de ponta de lança), podendo ser retorcidas ou não. Possuem, por vezes, pequenas manchas escuras que são, comumente, atribuídas a exposição a luz solar em excesso, ou a falta de nutrientes, mas que, na verdade, são características aceitáveis da planta que podem ocorrer mesmo com as condições corretas de sombreamento e irrigação. As inflorescências são eretas, e as flores esbranquiçadas. Trata-se de uma espécie bulbosa, que pode ser facilmente reproduzida tanto dessa forma, como por sementes.


 Curiosidades sobre a Ledebouria maculata  

Apesar de ser uma das folhagens de uso mais difundido entre jardineiros e admiradores, é raro encontrar quem conheça seu nome científico e, também, seu nome popular.

Como cultivar a Ledebouria maculata

Cultivada a meia-sombra, resiste bem tanto à sombra quanto a períodos de insolação maiores. Também é planta muito resistente à seca.

Pode ser cultivada em vasos de tamanho médio, com substrato rico em matéria orgânica e bem drenado. Durante o verão, o ideal é manter o solo úmido, para evitar desidratação excessiva do bulbo. É uma planta ideal para ser cultivada em ambientes internos, cuja capacidade de resistir a períodos de seca garante a ela uma aparência longeva e vigorosa, às vezes difícil de encontrar.


 Arte Botânica

Não foram encontradas ilustrações.


Referências

Pacific Bulb Society

Blog Perfil da Planta

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.