Home / Acervo Botânico / Pachystachys lutea, camarão-amarelo

Pachystachys lutea, camarão-amarelo

pachystachys lutea, camarão-amarelo

Detalhe da flor do camarão-amarelo. Foto Arquivo Jardim de Calatéia

Dados Botânicos

Nome CientíficoPachystachis lutea Nees;

Sin.Justicia lutea Ruiz & Pav ex Nees;

Nome popular: camarão-amarelo, planta-camarão, choclo (espanhol);

Família: Acanthaceae;

Ocorrência: Perú, Brasil (Acre) e Colombia;

Ciclo de vida: Perene;

Luminosidade: Sol pleno e Meia-sombra;

Irrigação: 2 a 3 vezes por semana;

Clima: Tropical e subtropical.

Floração: Ano todo.

Dificuldade: Baixa.

Camarão-amarelo é um arbusto de pequeno porte com folhas verde-escuras brilhantes, sublanceoladas ou elípticas, de nervuras bem marcadas. A inflorescência é uma espiga que cresce em formato piramidal, com os quatro lados bem definidos, brácteas amarelas e pétalas branco-creme e uma penugem superficial quase imperceptível a olho nu. 

Ocorre naturalmente no Perú e Colômbia, sendo também encontrada no Acre. É uma das espécies mais disseminadas no paisagismo brasileiro, utilizada tanto como forração como para a composição de bordaduras e vasos.

No habitat de origem, a floresta tropical, chega a alcançar 2 metros de altura, o que raramente ocorre no paisagismo, seja pelo clima em que é empregada, seja pela forma de plantio (em vasos ou canteiros limitados). Daí que, em nossos jardins, raramente ultrapasse 1 metro.

O nome Pachystachys deriva da aglutinação do grego pachys (grande, robusto) e stachys (espiga). No Perú, é conhecida como choclo de oro ou “milho dourado”. O epíteto específico lutea vem do adjetivo latino luteus e significa “amarelo”, em referência às bracteas da espiga.

Cuidados básicos e adubação

Deve ser plantada em solo leve, com muita matéria orgânica e de boa drenagem. Não é realmente exigente quanto às regas, desde que o solo permaneça úmido. A adubação deve ser feita com composto ou NPK 10-10-10 ao menos uma vez por ano e a poda é recomendada para manter o vigor da floração, porém não é realmente necessária.

A propagação pode ser feita por estaquia. Não frutifica fora do habitat natural.

Pachystachys lutea Nees. no paisagismo 

Muito utilizado como flor de corte


Arte Botânica

Imagens retiradas do http://www.plantillustrations.org

 

Pachystachys lutea, camarão-amarelo

Pachystachys lutea no desenho de Luciane Mori. Acompanhe o Diário de Estudos Botânicos da artista no Facebook.

 


Referências e links interessantes

The systematics of the genus Pachystachys (Acanthaceae)

Plantas Ornamentais no Brasil livro de Hari Lorenzi e Hermes Moreira de Souza. Clique no link para ir a livraria cultura.

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.