Home / Acervo Botânico / Ruellia brevifolia, pingo-de-sangue

Ruellia brevifolia, pingo-de-sangue

Ruellia brevifolia, pingo-de-sangue

Detalhe da flor do pingo-de-sangue. Foto do arquivo Jardim de Calatéia.

Dados Botânicos

Nome CientíficoRuellia brevifolia (Pohl) C. Ezcurra;

Sin.Stephanophysum brevifolium Phol; Ruellia amoena Nees; Ruellia graecizans Backer;

Nome popular: Pingo-de-sangue, junta-de-cobra-vermelha;

FamíliaAcanthaceae;

Ocorrência: Brasil, Bolivia, Peru, México e Argentina;

Ciclo de vida: Perene;

Luminosidade: Sol pleno e Meia-sombra;

Irrigação: regular, 2 a 3 vezes por semana, o solo deve ser mantido úmido, sem encharcar;

ClimaTropical, subtropical;

Floração: Todo o ano;

Dificuldade: Baixa.

Pingo-de-sangue é uma herbácea perene, de folhas verde-escuras, lanceoladas, com nervuras bem marcadas. Inflorescência terminal, formando de duas a três flores ao mesmo tempo e inúmeros botões. Se você está tentando diferenciar essa espécie da Ruellia angustiflora, a inflorescência é um fator determinante, pois, nessa última, não é terminal. 

As flores são pequeninas, vermelho sangue, com algum esbranquiçamento na parte interior da corola. As anteras aparecem branco-creme na parte superior, em quatro, porém normalmente a olho nu parecem dois dentões, daí talvez um de seus nomes populares: junta-de-cobra. Floresce praticamente o ano inteiro e de forma abundante e atraem beija-flores e borboletas. Ocorrem também naturalmente variedade de flores amarelas, róseas e brancas.

Apesar da graciosidade da planta, o vulgo não lhe apelidou de forma simpática: Junta-de-cobra e pingo-de-sangue convenhamos, não fazem muito jus a beleza deste arbusto delicado que habita encostas de morros e beira de caminhos, iluminando os transeuntes ou simplesmente fazendo a alegria dos beija-flores, desde o México até a Argentina.

O nome científico Ruellia brevifolia é, no gênero, uma homenagem ao botânico francês Jean Ruelle. Brevifolia significa “que tem folhas pequenas.

Cuidados básicos e adubação

O pingo-de-sangue ocorre naturalmente em terrenos de encosta, com terra fértil e muita umidade. Os cuidados básicos, portanto, devem observar esses fatores: boa drenagem e umidade constante, com excelente iluminação e sol direto por poucas horas ao dias.  

Ruellia brevifolia (Pohl) C. Ezcurra no paisagismo 

Ideal para a composição de bordaduras, vasos, ou em conjuntos costeando muros e cercas baixas.


Arte Botânica

Imagens retiradas do http://www.plantillustrations.org

 


Referências e links interessantes

Flora de Santa Catarina

Tropicos.org

Plantas Ornamentais no Brasil livro de Hari Lorenzi e Hermes Moreira de Souza. Clique no link para ir a livraria cultura.

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.