Home / Acervo Botânico / Schlumbergera truncata, Flor de Maio

Schlumbergera truncata, Flor de Maio

Schlumbergera truncata, flor-de-maio

Flor da Schlumbergera truncata (Haw.) Moran

Dados Botânicos

Nome CientíficoSchlumbergera truncata (Haw.) Moran;

Sin.: Epiphyllum trunatum Haw; Zygocactus truncatus (Haw.) K. Schum.;

Nome popular: Flor de maio, flor de seda;

Família: Cactaceae;

Ocorrência: Brasil

Ciclo de vida: Perene;

Luminosidade: Meia-sombra;

Irrigação: 1 a 2 vezes por semana nas estações mais frias e até 3 vezes no verão;

Clima: Subtropical;

Floração: Outono;

Dificuldade: Baixa.

Esse pequeno cacto de floração exuberante é uma epífita e sua descrição data dos primeiros séculos da ocupação européia nas Américas. Há relatos de que sua floração tenha sido obtida naquele continente já em 1720, na coleção de Joseph de Salm-Reifferscheidt-Dyck, ou simplesmente Salm-Dyck, como aparece nas notações botânicas. Entusiasta do cultivo de suculentas, Salm-Dyck organizou e propôs um sistema de taxonomia das cactáceas e foi o primeiro a registrar o florescimento em estufa da flor-de-maio.  

Nativa da mata atlântica do sul brasileiro, esse cactus epífito, com porte de até 60 cm de altura, conquistou o mundo pela exuberância de suas flores. No EUA e na Europa, onde é muito cultivada como planta de interior, é chamada flor-de-natal ou, nos EUA, flor-de-ação-de-graças, devido ao período em que floresce – de outubro a dezembro, outono naquele hemisfério.

No Brasil, pode ser cultivada a meia-sombra, em varandas, como planta pendente, ou como planta de interior, sempre em vasos contendo substrato rico em matéria orgânica e bem permeável. Assim como outros membros da família das Cactáceas, restiste bem a períodos de seca. No entanto, para manter uma planta saudável e obter uma florada mais abundante, recomenda-se regá-la sempre que o solo secar.

Após o florescimento, já para o final do outono e começo do inverno, a irrigação pode diminuir sensivelmente, voltando a ser mais intensa nos meses de calor. 

A reprodução é facilmente obtida por estacas após a floração. Estacas formadas por dois ou três artículos (cada uma das divisões do cactus) tendem a ser mais bem sucedidas. A reprodução também pode ser feita por sementes. A dificuldade, nesse caso, está em que essa planta só se reproduz por polinização cruzada, de maneira que duas plantas obtidas da mesma mãe, por processo vegetativo, não fecundarão uma a outra. Ao mesmo tempo, o processo é feito pelo beija-flor, tornando ainda mais difícil sua obtenção em determinados meios urbanos.

 

Cuidados básicos e adubação

O preparo do vaso pode ser feito exclusivamente com terra vegetal ou composto orgânico. A muda da foto foi obtida dessa maneira. No entanto, o mais recomendável é uma mistura de composto, musgo e areia, na proporção 1:1:2. A adubação pode ser feita anualmente, após a floração.

Schlumbergera truncata no paisagismo 

É utilizada especialmente como planta pendente, em vasos e jardineiras, sempre a meia sombra.


Arte Botânica

Imagens retiradas do http://www.plantillustrations.org

 


Referências e links interessantes

http://hortuscamden.com/plants/view/schlumbergera-truncata-haw.-moran

http://www.missouribotanicalgarden.org/gardens-gardening/your-garden/plant-finder/plant-details/kc/b669/schlumbergera-truncata.aspx

http://eol.org/pages/588963/overview

http://www.tropicos.org/Reference/100002289

http://de.wikipedia.org/wiki/Joseph_zu_Salm-Reifferscheidt-Dyck (Alemão)

 http://saberesdojardim.wordpress.com/tag/schlumbergera-truncata/

http://www.missouribotanicalgarden.org/gardens-gardening/your-garden/plant-finder/plant-details/kc/b669/schlumbergera-truncata.aspx

Plantas Ornamentais no Brasil livro de Hari Lorenzi e Hermes Moreira de Souza. Clique no link para ir a livraria cultura.

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.