Home / Arquitetura Paisagística / Parede viva inspirada em obra de arte

Parede viva inspirada em obra de arte

parede viva inspirada em obra de arte

Monet ou Van Gogh?

A idéia para esse post surgiu de um desafio lançado pelo Toni Backes, da Perau do Encanto Escola de Paisagismo, no Facebook. Toni publicou a foto dessa parede viva prestes a florescer e perguntou: sabem em qual pintor ela foi inspirada? 

O primeiro nome que me veio a cabeça foi Monet. Vocês sabem, Monet viveu durante anos num pequeno vilarejo francês, próximo a Paris, chamado Giverny. Alguns de seus quadros mais famoso foram pintados aí. O que pouca, ou pelo menos, algumas pessoas não sabem, é que a região é muito conhecida por seus jardins e que o próprio Monet tinha aí seu cultivo de Tulipas e Íris, entre outras plantas.

A paixão pela jardinagem levou o pintor a criar jardins que lhe fornecessem inspiração e paleta de cores para seus quadros. Por isso, creio, tenha me vindo o seu nome antes de outros pintores.

Mas, como alguém já havia chutado Monet, fui olhar a foto com mais atenção e pensei: deve ser outro mestre da pintura. 

Eu não sou um especialista nessa arte, mas gosto e, como gosto, pratico a observação, cuido os detalhes. E, se vocês repararem bem na pintura sem as cores propiciadas pela floração, há nela uma estrutura, um esboço, por assim dizer, bem definido demais. E Monet era um impressionista, a forma não era exatamente o essencial, senão a luz natural e o movimento.

Levando isso em conta, me pareceu, talvez erroneamente – porém, nesse caso, com acerto – que compor uma parede viva com as cores do pintor impressionista fosse mais difíceis, justamente porque ela depende de plantas que, pelo menos a primeira vista, não se dariam muito bem nessas condições. Eu, pelo menos, o cultivo de bulbos em quadros vivos.

Daí que, mirando o lado direito do quadro, divisei a forma de um cipreste. Vocês verão que essa forma fica bem mais clara com a parede florida – na verdade, não são apenas flores, mas a própria mudança de coloração de algumas plantas, em determinadas épocas, que fornece o efeito a composição. De toda maneira, eu pressupus essa árvore e, bingo!, pensei em Van Gogh. 

Faltava, então, descobrir qual a obra por trás dessa criação. E, como eu não lembrasse, servi-me do google, que é, atualmente, o pai do pai de todos os burros ;).

Campo de Trigo com Ciprestes ou parede viva inspirada em Van Gogh

E eis como a parede viva quando em flor:

Parede viva inspirada em van gogh

Exposta em frente ao National Gallery, em 2012, para as Olimpíadas de Londres, esse quadro vivo foi composto em parceria com a GE (General Eletrics). A foto foi retirada do site Inspiration Green

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.