Home / Artes / A “preservação de espécies” nas esculturas botânicas de Nic Bladen

A “preservação de espécies” nas esculturas botânicas de Nic Bladen

Aloe africanus | Jardim de Calatéia

Espécie de babosa da região do Cabo da Boa Esperança

Nic Bladen é um escultor e ourives da África do Sul, cujas esculturas botânicas têm o mérito da reprodução exata de uma espécie vegetal como encontrada na natureza. Ele é único praticante de uma apurada técnica de escultura que lhe permite criar cópias perfeitas de espécies vegetais, desde a rai, até a flor, passando pela textura do caule e as folhas. Trata-se de um trabalho de apurada técnica com resultado estético de alto nível, cuja importância toca ainda a do registro histórico de espécies ameaçadas de extinção.

Com anos de experiência trabalhando como técnico em prótese dental, Nic adquiriu os conhecimentos necessário para aliar o aprendizado no ramo com a da fundação de bronze, desenvolvendo um tipo especial de técnica da cera-perdida. Ao final do processo, como se pode ver pelas fotografias, as esculturas botânicas produzidas são tão próximas da perfeição, que é preciso olhar com muito cuidado para perceber que não se trata de uma planta de verdade.


Vivendo numa das regiões de microclima com maior diversidade vegetal no planeta e que se encontra em constante ameaça em função do aumento vertiginoso de espécies ameaçadas, o artista tem se dedicado a preservação da forma dessas espécies na memória coletiva de seu país e até mesmo de toda humanidade. Em associação com a Baskloof Private Nature Preserve ele organizará uma extensa coleção das plantas nativas. A cada semana, durante um ano, ele poderá coletar uma espécie para “preservá-la” através de seu método.

O outro lado da moeda, que não invalida a obra, mas que deve ser relevado, é o caráter exclusivo, voltado para um público que tende ao fetichismo, como os colecionadores de objetos raros. No caso, os objetos raros são seres vivos ameaçados de extinção seja pela ação humana, seja pela própria evolução. O artista, aliás, não se pode dizer alheio a esse processo fetichista: parte dessas esculturas são concebidas como jóias, ou objetos de decoração de luxo. Veja-se, por exemplo, o abajur que figura aqui.

Apesar disso, ou mesmo para levantar essa discussão, vale o registro.

Fontes:

Página oficial de Nic Bladen

Garden Design

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.