Home / Artes / Arte Botânica / Os desenhos botânicos de Margaret Mee

Os desenhos botânicos de Margaret Mee

Nos dias de hoje, em que se discute a questão ambiental mais do que em outras épocas, nem sempre se valendo de argumentos bem estudados, vale a pena revisitar a contribuição de Margaret Mee, artista plástica e botânica que dedicou sua obra ao estudo da flora amazônica. Inglesa, nascida em Buckinghamshire, em 1909, chega ao Brasil em 1952, iniciando suas pesquisa em 1962.

Neoregelia margaretae, desenho de Margaret Mee

Neoregelia margaretae, uma das três espécies do gênero descobertas por Margareth Mee

O trabalho de Mee destaca-se não apenas pela evidente contribuição a botânica, registrando espécies raras (algumas inéditas, outras atualmente extintas) na Amazônia, mas também pela descoberta e descrição de algumas espécies, dentre às quais Neoregelia margareteae, batizada em sua homenagem.

Seu desempenho como ilustradora botânica extrapolou o campo científico, já que não se limitou às rígidas exigências científicas, desenhando muitas vezes os exemplares em seu habitat natural. Essa iniciativa, por sinal, vinha ao encontro de suas convicções políticas, preocupada que estava com o crescente desmatamento da floresta tropical – daí querer registrar e ressaltar a importância da preservação ambiental.

Margaret Mee morreu em 1988, pouco tempo antes da inauguração de sua mostra permanente, em Kew, na Inglaterra, não antes de completar sua busca incansável pela flor da lua.

Recomendo a leitura desse texto:

Arte e ciência de Margaret Mee

E do vídeo aqui no Jardim de Calatéia

Um vídeo sobre Margaret Mee

           

 

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.