Home / Artes / Arte Botânica / Desenhos de Percy Lau – Potencialidades Paisagísticas

Desenhos de Percy Lau – Potencialidades Paisagísticas

Esse blog tem utilizado o termo Arte Botânica a revelia do que o conceito significa em termos científicos de ilustração feita para auxiliar o processo de identificação de espécies seguindo regras próprias do método científico. Faço isso valendo-me de um pouco de licença poética: meu objetivo aqui é abarcar tanto a ilustração científica em seu valor artístico, quanto aquele tipo de arte que precisamente lida com objetos botânicos para desenvolver sua obra. Do ponto de vista paisagístico, vale também dizer, discutir a nossa percepção do ambiente natural e da atividade do Clique na imagem para ampliá-laprofissional ou amador em jardinagem. Foi assim que, desde o começo desse blog, discuti a influência do modernismo brasileiro na construção de um imaginário nacional do jardim, através de artistas como Tarsila do Amaral e os Warchavchik, que, antes de Burle-Marx, chocaram a sociedade paulistana com um jardim repleto de Mandacarus e Agaves.
O tema vem ao encontro da discussão aqui proposta através da obra do artista Percy Lau. A leitura do livro Domínios de Natureza do Brasil de Ab’Saber, por sinal, o maior pensador ambiental vivo em nosso país, me levou a trazer aqui a obra desse desenhista de origem peruana, naturalizado brasileiro que se dedicou a nossas paisagens e veio falecer no Rio de Janeiro. Boa parte de seus trabalhos foram realizados em viagens que realizou a trabalho pelo IBGE, a fim de ilustrar publicações dessa instituição. Sua obra é a própria memória de um Brasil que iniciou sua fase desenvolvimentista na década de 40 com Vargas.
Seus desenhos importam não apenas historicamente, pelo registro de tipos, mas também pela representação da paisagem. Clique na imagem para ampliá-laEnquanto Tarsila desenvolveu para as artes o papel de representar a flora nacional, especialmente aquela dos lugares mais áridos e menos opulentos do território nacional, influenciando nossa visão e gosto pela flora nacional; enquanto Margareth Mee legou-nos o conhecimento de espécies hoje dadas como extintas, inovando, inclusive, a técnica da Arte Botânica; o papel de Percy Lau, como ilustrador do IBGE, nos rendeu o conhecimento de nossas potencialidades paisagísticas, ali mesmo onde o Estado mal havia fincado pés.

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.