Home / Artes / Arte e Paisagem / Os Terrenos Vagos na Paisagem Urbana (I)

Os Terrenos Vagos na Paisagem Urbana (I)

 

Lotes vagos, Terrenos vagos na paisagem urbana

Projeto Lote Vago, de Louise Ganz

A questão dos chamados “vazios” urbanos, de utilidade pública ou não, comumente chamados parques, terrenos baldios etc. foi objeto do TCC de meu amigo Gabriel Scapinelli e é pauta recente no blog Landscape and Urbanism Review, publicação digital dedicada ao Paisagismo e ao Urbanismo. Seu artigo mais recente: Terraine Vague – de Sola Moralles, trata da questão através da fotografia e discute o imaginário urbano sobre a questão.

No Brasil, a arquiteta, paisagista e artista plástica Louise Ganz tem se dedicado a discussão, fazendo de seu trabalho fértil terreno para discussão comunitária (entre moradores e proprietários) sobre esses terrenos. No Brasil, é um dos trabalhos mais relevantes em torno da temática terrenos vagos. Apesar de ser considerado um trabalho artístico, na linha do relacional, pode muito bem servir de base para repensar as práticas cotidianas de ocupação do meio urbano. Os chamados espaços vazios, ou terrenos vagos, lotes desocupados cuja relação com a especulação imobiliária é ao mesmo tempo fugidia e intríseca, podem são repensados como espaços de lazer e troca.

Reproduzo citação utilizada no artigo acima mencionado.

“When architecture and urban design project their desire onto a vacant space, a terrain vague, they seem incapable of doing anything other than introducing violent transformations, changing estrangement into citizenship, and striving at all costs to dissolve the uncontaminated magin of the obsolete into the realism of efficacy.” (112)

Quarto com Camas sob Torre de Alta tensão

“Quando a Arquitetura e o Urbanista projetam seu desejo num espaço vazio, um terrain vague, eles parecem incapaz de fazer qualquer coisa além de introduzir violentas alterações, transformando estranhamento em cidadania, e lutando a todo custo para dissolver a incólume margem do obsoleto no realismo da eficácia” (O artigo cita um texto de Sola Moralles)

 

 

 

 

 

 

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.