Home / Jardinagem / Colocar música para plantas, dá resultado?

Colocar música para plantas, dá resultado?

Black Sabath faz bem para as plantas?!?! E eu, como é que fico?

Black Sabath faz bem para as plantas?!?! E eu, como é que fico?

Quem nunca escutou que cantar, ou mesmo falar com uma planta faz ela crescer mais forte? Jardineiros e jardineiras que nunca tentaram, por favor, atirem a primeira pétala. Quando a intenção é ter uma planta sadia e florida, vale tudo. Ou, quase tudo, desde nitrogênio até dar uma “surra” na jabuticabeira que embestou em não dar jabuticabas. Tudo, menos fertilizante químico e pesticida que possa matar aquela joaninha amiga que todo dia vem visitar o seu girassol, e que a gente ama mesmo é porque come outros insetos. E, se, por um lado, a joaninha às vezes parece solução para quase tudo, por outro, cantar pode ser solução pra dois – jardineiro e planta.

Pelo menos é o que diz esse estudo feito por Chris Beardshaw, um dos jardineiros mais influentes da Inglaterra, conforme ele mesmo relatou ao periódico The Guardian. O estudo foi levado a cabo por iniciativa de um aluno de Beardshaw que queria escrever sua dissertação sobre a influência da música em plantas. Segundo o jardineiro, foram armadas diversas estufas, cada qual com um estilo diferente, do clássico ao rock, ficando apenas uma das estufas em silêncio, como “grupo controle”. Como cobaias, foram escolhidas as alstroemerias, flores comumente chamadas de lírio dos incas na Inglaterra. O gênero Alstroemerias  tem quase todas as espécies concentradas na América do Sul.

A escolha, aparentemente, foi feita ao acaso. O fato é que os cientistas comprovaram que a presença de música no ambiente pode sim influenciar positivamente o desenvolvimento das plantas. Alguns mais, outros menos, é verdade. O curioso, porém, não foi exatamente o resultado geral apresentado e sim, dentre os gêneros e músicos, aquele que mais cativou o gosto musical das Alstroemerias: Black Sabath, banda de heavy metal cujas músicas mais conhecidas são Iron Man e Paranoid. Um exemplar talvez um pouco “adocicado” comparado com outras bandas que seguiram essa linha, o que pode ou não servir de hipótese para outro estudo.

De toda forma, você, como eu, certamente deve estar se perguntando algo do tipo: Se Black Sabath é a banda preferida das minhas florzinhas, devo usar tapa-ouvidos quando for cuidar do jardim? Bem, não custa tentar fazê-las escutar Elvis Presley ou Geraldo Vandré (!), mas eu, cá entre nós, vou continuar cantarolando o que vier na telha. Certo mesmo é que, perto de minha flor morcego, Black Sabath eu não canto não! 😉

E você, leitor ou leitora, canta para as suas plantas? Diga lá qual a música preferida delas!

About Frederico Teixeira Gorski

Frederico Teixeira Gorski é bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Estudou Teatro na Universidade Estadual de Santa Catarina e iniciou seus estudos em paisagismo com a professora Jane Pilotto, no curso Paisagismo Ecológico. Desde a Psicologia, interessou-se pelo estudo do Espaço Urbano. Em 2011, criou a primeira versão do Jardim de Calatéia como blog, com a intenção de transformá-lo em um portal que reunisse artigos que abrangessem desde a Arquitetura Paisagística, até o estudo botânico, passando pelas artes visuais.